Europa Featured 5 News

Foi realizada a primeira pesquisa da história sobre a situação económica e social dos Autores Audiovisuais Europeus

A pesquisa foi realizada pela BVR Services GmbH de CuDOS e pela Universidade de Ghent, a pedido da FERA – Federação Europeia de Diretores de Cinema e da FSE – Federação Europeia de Roteiristas. Ela revelou dados sobre a remuneração e a vida profissional dos Autores Audiovisuais na Europa.

Até agora não havia dados disponibilizados pela União Europeia sobre a renda dos Autores Audiovisuais dessa região. A pesquisa é dirigida aos membros de 57 organizações profissionais em 26 países aderidos à FERA e à FSE, bem como a algumas sociedades de gestão de direitos (CMOs) que são membros da SAA – Sociedade de Autores Audiovisuais.

A pesquisa revelou que o perfil médio de um Autor ou de uma Autora Audiovisual é de 46 anos, trabalha 45 horas por semana, que 80% de sua renda provém de seu trabalho no setor audiovisual, com uma renda anual média de 19.000 euros, que 385% são autores freelance e que 36% são mulheres e 64% homes.

Tanto os Autores como as Autoras têm seu pico financeiro em torno dos 50 anos, mas a média anual de renda pelo seu trabalho é de 20.750 euros para as mulheres e 29.009 euros para os homens. A renda das Autoras começa quase no mesmo nível que os Autores, mas, à medida que os anos passam, a diferença começa a aumentar e as Autoras têm que lidar com muito menos renda até o final de sua carreira.

Outro dos grandes problemas enfrentados pelos Autores é a quantidade de trabalho não remunerado, especialmente na fase de desenvolvimento e promoção. 38% dos diretores indicam que não receberam receita para desenvolvimentos de projetos em 2016, 36% foram remunerados apenas alguma vez, e somente 26% sempre recebem remuneração.

Além disso, 25% dos diretores enfatizam que têm dificuldades para chegar ao final do mês com a receita que recebem. Esse é o problema que mais afeta aos Autores emergentes, dos quais 44% indicaram ter problemas financeiros.

Por causa disso, muitos Autores são obrigados a ter duas ou três fontes adicionais para poder chegar ao final do mês. A pesquisa revela que 47% no sobreviveria como Autor se não fosse pela renda de outras fontes, 74% são financeiramente inseguros, 65% estão insatisfeitos com a segurança no trabalho, enquanto 34% dos Diretores e 42% dos Roteiristas têm um trabalho fora do setor audiovisual.

Por último, o dado mais animador é que 83% dos Autores, ou seja, 4 de cada 5, indicam que embora a vida de um Autor seja insegura, não gostariam de deixá-la. Isso reflete que, apesar dos obstáculos que os Autores e as Autoras precisam superar, eles continuam escolhendo a profissão acima de todos os problemas.